Pet não é brinquedo

No Dia das Crianças, pais que pretendem presentear filhos com animais de estimação devem estar conscientes sobre posse responsável.

Os reais benefícios do relacionamento entre crianças e animais são cada dia mais difundidos no País. Soma-se ao amor e apreço que os brasileiros têm historicamente por gatos e cães, pesquisas que materializam os ganhos dessa interação. Recentemente, um estudo divulgado pela Universidade de Cambridge e conduzida em colaboração com o Centro de Nutrição e Bem-estar Animal WALTHAM™, mostrou que os animais de estimação têm grande influência no desenvolvimento da criança e impacto positivo nas habilidades sociais e bem-estar emocional.

Com a proximidade do Dia das Crianças é muito comum que os pequenos peçam aos pais um pet de presente. Apesar da interação entre crianças e animais de estimação ser bastante positiva e estimulada, os pais devem estar atentos a algumas questões relacionadas a posse responsável. Gatos e cães não são brinquedos e exigem compromissos de longo prazo. Há quem esqueça que cuidar de um pet exige tempo para levá-lo para passear, para visitas regulares ao Médico-Veterinário, assim como limpar cocô e xixi, e, infelizmente, muitas vezes os motivos acima são a causa para que eles sejam abandonados ou devolvidos aos abrigos. Segundo a Organização Mundial da Saúde, existem mais de 30 milhões de cães e gatos abandonados no Brasil.

Por isso, antes de ceder aos desejos das crianças é preciso ficar atento a algumas responsabilidades. Confira 10 dicas do Programa PEDIGREE® Adotar é Tudo de Bom, que há 9 anos no Brasil tem como objetivo mudar a realidade de cães abandonados por meio da sensibilização, conscientização e mobilização da população para a causa da adoção, do apoio aos abrigos que resgatam e promovem a adoção consciente e da educação da população sobre a posse responsável.

1)      Quanto menor é a casa, menor deve ser o cão. Cachorros grandes, em um ambiente pequeno, podem ter problemas de adaptação.

2)      Antes de adquirir um animal, importante considerar o tempo médio de vida que é de 12 anos. Pergunte à família se todos estão de acordo, se há recursos necessários para mantê-lo e verifique quem cuidará dele nas férias ou em feriados prolongados. Não faça nada por impulso.

3)      Antes de adotar ou adquirir, pesquise sobre o animal e veja se ele é compatível com o seu estilo de vida e perfil.

4)      Caso você já tenha outros cães em casa, apresente o novo morador de forma gradual e fique sempre atento à convivência.

5)      Mantenha o animal sempre dentro de casa, jamais solto na rua. E na hora do passeio, leve-o com uma coleira ou guia.

6)      Evite as crias indesejadas. Castre machos e fêmeas. A castração é a única medida definitiva no controle da procriação e não tem contraindicações.

7)      Cachorro precisa de alimentação de qualidade e muita água fresca e limpa.

8)      Cuide da saúde física do animal. Forneça abrigo, alimento, vacinas e leve-o regularmente ao Médico-Veterinário. Dê banho, escove e exercite-o.

9)      Zele pela saúde psicológica do animal. Dê atenção, carinho e ambiente adequado a ele.

10)  O Brasil tem milhões de cães abandonados. Esqueça o mito característico da adoção: pets adultos se adaptam com facilidade às mudanças.

Tags

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp

Busca

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content

Anália Franco: 11 99568-7320
Morumbi: 11 93040-2110

Escola de Teatro

Agende uma aula experimental
Whatsapp 11 96591 9915

Parceiros

Facebook

  • Mais Acessados
  • Arquivo

Quem Escreve

Ana Paula

Sou Ana Paula Alcântara Porfírio, trabalho em horário integral como mãe, sou casada, com um príncipe chamado Júnior, tenho dois filhos a Manuella e o Arthur, que fazem meus dias mais felizes!

Vou dividir com vocês nossos passeios, dicas de programas com crianças, experiências e sentimentos da maternidade!