Dicas para melhorar o comportamento infantil

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), crianças de até 5 anos de idade não devem exceder o tempo de 60 minutos por dia diante de telas de smartphones, computadores ou televisão. Esse alerta, de acordo com a instituição, foi feito por diversos fatores. O principal é em decorrência da saúde dos pequenos, uma vez que, também segundo a organização, aproximadamente 40 milhões de crianças ao redor do mundo, o equivalente a 6% do total, sofrem de sobrepeso decorrente da pouca atividade física e da alimentação pobre em nutrientes.

O OMS, portanto, sugere que as crianças de até cinco anos substituam os passatempos online por atividades físicas e práticas que não envolvam necessariamente exercícios, mas incluam interações no mundo real, como a leitura e interpretação de histórias, brincadeiras com outras crianças, resultando em uma socialização maior. Porém, essa não é uma tarefa fácil. Pais e cuidadores de criança sabem como a mudança desse comportamento pode ser uma árdua missão. Para isso, a coach e especialista em desenvolvimento humano Leila Arruda, aconselha a aplicação de métricas de coaching visando maior auxílio no comportamento dos pequenos.

Leila, que possui ampla experiência na aplicação de coaching para adultos, afirma que o trabalho voltado para o público infantil, além de ser 100% assertivo, pode proporcionar uma mudança natural no costume das crianças, ou seja, sem despertar desconfortos e sentimentos de negação, como a raiva. No entanto, segundo a coach, “essa tarefa deve ser realizada de acordo com as reações das crianças, sem cobranças”.

Ainda de acordo com a especialista o trabalho deve ser realizado com calma, para que os resultados sejam alcançados. Isto é, um trabalho diário informando para a criança o quão aquela determinada atitude pode ser negativa no seu futuro por meio de metáforas. “Uma maneira interessante de informar a necessidade da mudança, é diariamente fazer perguntas sobre o motivo daquela ação ou contar histórias sobre. Entretanto, ao perceber uma reação negativa da criança devemos parar e começar novamente no dia seguinte”, enfatiza a especialista.

Em relação aos dados divulgados pela OMS, Leila é enfática: “a alteração desse comportamento pode sim ser realizada através de sessões de coaching kids. No entanto, é importante considerar que, como toda curva de aprendizagem, essa mudança é realizada aos poucos, percebendo e medindo a reação das crianças“, declarou. Vale considerar que esses métodos estão cada vez mais presentes no cotidiano, sendo, inclusive, adotados por escolas, uma vez que, segundo Leila, o coaching infantil pode ser realizado para crianças de até 12 anos.

Atividades ao longo do dia

Para melhorar o desempenho das crianças, mesmo com o pouco tempo disponível dos pais, Leila Arruda sugere seis atividades que melhoram a capacidade cognitiva, aprimoram o pensamento lógico e incentivam a criatividade dos pequenos no tempo extra-classe. “Porém é preciso pontuar que cada faixa etária requer o brinquedo ou atividade adequados e que os pais devem procurar essa informação antes de aplicar uma atividade”, lembra.

Quebra-cabeças: que pode ser aplicado enquanto os pais estão preparando o jantar, com imagens de personagens, cenas ou algo relacionado à vida ou ao momento da criança para incentivá-la a terminar a montagem

Jogo da Velha e jogos simples de tabuleiro: que estimulam o pensamento lógico e que não sejam feitos em tablet ou na tela de um smartphone. Os adultos devem sugerir o jogo e até estimular uma rodada de partidas e ir evoluindo conforme a idade, do jogo de damas para o xadrez ou ludo, por exemplo, que são mais complexos.

Colagem: essa atividade geralmente aplicada na escola pode ser feita em casa com ações temáticas. Montar um parque com atividades que a criança gostaria de ter, um restaurante fictício, uma escola ou um planeta imaginário pode estimular a criatividade. Para isso, bastam revistas e jornais antigos, tesoura, cola e papel e sempre com envolvimento dos pais como estímulo.

Ao ar livre: levar a criança para qualquer atividade ao ar livre é altamente estimulante. Evitar apenas as áreas de recreação dos condomínios ou ir sempre ao mesmo lugar, justamente para estimular alguma atividade desafiadora em cenários diferentes.

Montagem: jogos de blocos para montar devem ser aplicados sempre mas com atenção para a faixa etária começando por kits menos complexos para crianças pequenas (até 3 anos), um pouco maiores (dos 4 aos 6) e kits mais completos (dos 7 até onde a criança se sentir desafiada a completar a montagem).

Histórias para dormir: pesquisar previamente histórias que tenham lições com as quais se quer ilustrar alguma situação da vida e, ao contar, interagir com a criança antes de ir para a cama. Os pais devem atuar no imaginário da criança reduzindo as luzes da casa, desligando a TV, até para estimular a criatividade e propiciar o descanso. Esse momento também ajuda a reduzir o estresse, compreender melhor a rotina e acalmar a criança sem gerar ansiedade. “Não adianta os pais quererem que os filhos durmam cedo se eles mesmos ficam agitados nesse momento, com TV ligada ou música…”, alerta a especialista.

Tags

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp

Busca

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content

Anália Franco: 11 99568-7320
Morumbi: 11 93040-2110

Escola de Teatro

Agende uma aula experimental
Whatsapp 11 96591 9915

Parceiros

Facebook

Arquivos

Quem Escreve

Ana Paula

Sou Ana Paula Alcântara Porfírio, trabalho em horário integral como mãe, sou casada, com um príncipe chamado Júnior, tenho dois filhos a Manuella e o Arthur, que fazem meus dias mais felizes!

Vou dividir com vocês nossos passeios, dicas de programas com crianças, experiências e sentimentos da maternidade!