Programa Osesp MASP promove duas apresentações em novembro

O MASP – Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand e a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo – Osesp, duas das instituições culturais mais simbólicas de São Paulo, apresentam, no segundo semestre de 2023, uma nova edição da série de concertos Osesp MASP, que combina arte e música no palco do MASP Auditório.

Nos dias 1 e 15 novembro, serão oferecidos dois espetáculos: o primeiro traça paralelos entre a obra O vestido estampado (1891), de Édouard Vuillard com peças de Josef Rheinberger, Edward Elgar, Camille Saint-Saës, Benjamin Britten, Maurice Ravel, Eric Whitacre e Kim André. Já o segundo, propõe o diálogo entre a pintura A primavera – Eurídice colhendo flores é mordida por uma cobra (A morte de Eurídice) – As quatro estações de Hartmann (1856-63), de Eugène Delacroix, com peças de Florence Price, Juliana Ripke e Clarice Assad.

O palestrante convidado para os espetáculos é o curador e crítico de arte Cadu Riccioppo, que irá estabelecer paralelos entre as pinturas e as peças musicais. A interpretação musical no 1º de novembro fica por conta do Coro da Osesp, sob a regência de William Coelho e, no dia 15, do Art String Quartet, com Svetlana Tereshkova e Katia Spássova nos violinos; Sarah Pires na viola e Heloisa Meirelles no violoncelo. Após cada concerto, os espectadores serão convidados a visitar a obra do acervo do MASP, atualmente exposta na mostra de longa duração Acervo em transformação, no segundo andar do edifício.

O vestido estampado (1891), de Édouard Vuillard, traz um tema recorrente em suas primeiras obras: o ateliê de costura de sua mãe. “Há três delimitações espaciais na sala: o fundo com a lareira, as paredes em linhas verticais e o espelho que reflete a mulher em primeiro plano. A cena é envolta pelos tons de verde, ocre e lilás acinzentado, mas o destaque está na estampa do vestido”, descreve a equipe curatorial do MASP. “Com isso, Vuillard criou uma atmosfera da qual não emergem identidades (os rostos estão todos apagados), mas aparências criadas pelas manchas e pelos motivos das roupas e do local”, finaliza.

A obra A primavera – Eurídice colhendo flores é mordida por uma cobra (A morte de Eurídice) – As quatro estações de Hartmann (1856-63), de Eugène Delacroix, integra um conjunto composto por quatro telas, todas pertencentes ao acervo do MASP. As obras foram encomendadas pelo industrial francês Jacques-Frédéric Hartmann (1822‑1880) para decorar sua residência. Nelas, o artista associa o tema das quatro estações a mitos greco-romanos. “As pinceladas largas são as mesmas para os cenários e para as personagens, e o movimento não está apenas nos gestos e na interação, mas no ritmo da própria pincelada. De longe, as telas de grande formato destacam as cenas em sua totalidade, com grande riqueza de detalhes. De perto, cada trecho funciona com independência, destacando-se os blocos de cor, em especial, as massas de ocre e vermelho, e de verde e azul”, reflete a equipe curatorial.
 

O projeto, promovido pelo MASP e pela Osesp desde 2015, estabelece diálogos entre arte e música, relacionando similaridades estéticas e históricas entre ambas. Cada apresentação é comentada por um especialista, que faz a conexão entre as obras de arte da coleção do MASP e peças musicais interpretadas por músicos da Osesp. A iniciativa é uma realização da Secretaria Municipal de Cultura edo Programa Municipal de Apoio a Projetos Culturais – PROMAC.

PROGRAMAS 
 

1.11.2023

CORO DA OSESP

WILLIAM COELHO REGENTE
 

JOSEF RHEINBERGER [1839-1901]

Canções Sacras, Op. 69: Seleção [1855]

1. Morgenlied [Canção da Manhã]

3. Abendlied [Canção da Noite]

10 minutos

EDWARD ELGAR [1857-1934]

Lux Aeterna [Luz Eterna] [arranjo de John Cameron para Nimrod] [1899]

4 minutos

CAMILLE SAINT-SAËNS [1835-1921]

Les Fleurs et les Arbres [As Flores e as Árvores], Op. 68 nº 2 [1882]

2 minutos

BENJAMIN BRITTEN [1913-1976]

Five Flower Songs [Cinco Canções das Flores], Op. 47 [1950]

1. To Daffodils [Para os Narcisos]

2. The Succession of the four sweet Months [A Sucessão dos Quatro Doces Meses]

3. Marsh Flowers [Flores do Pântano]

4. The evening Primrose [A Prímula-da-Tarde]

5. Ballad of green Broom [Balada da Giesta Verde]

12 minutos

MAURICE RAVEL [1875-1937]

Ma Mère l’Oye: Le Jardin Féerique [Mamãe Gansa: Jardim Feérico] [arranjo de Thierry Machuel] [1910-11]

4 minutos

ERIC WHITACRE [n. 1970]

Water Night [Noite Aquática] [1994]

6 minutos

KIM ANDRÉ ARNESEN [n. 1980]

Lovely is the Dark Blue Sky [Adorável é o Céu Azul Escuro] [2019]

4 minutos

15.11.2023

ART STRING QUARTET
 

SVETLANA TERESHKOVA VIOLINO

KATIA SPÁSSOVA VIOLINO

SARAH PIRES VIOLA

HELOISA MEIRELLES VIOLONCELO

Florence PRICE [1887-1953]

Quarteto de Cordas nº 2 em lá menor [Seleção] [1935]

2. Andante cantabile

3. Juba. Allegro

13 minutos
 

Juliana RIPKE [n. 1988]

Quartetos Imaginados nº 1 [2023]

[encomenda pelo Art String Quartet]

1. Florestas Imaginadas

2. Danças Imaginadas

3. Saudades de Cantar

14 minutos

Clarice ASSAD [n. 1978]

Canções da América [2022]

[encomendado pelo Fry Street Quartet]

1. Dança

2. Choro-Canção

3. Tango

4. Intermezzo

5. Melodia Andina

6.Purahéi

15 minutos
 

OBRAS COMENTADAS
1.11 – Édouard Vuillard, O vestido estampado, 1891, acervo MASP

15.11 – Eugène Delacroix, A primavera – Eurídice colhendo flores é mordida por uma cobra (A morte de Eurídice) – As quatro estações de Hartmann, 1856-63, acervo MASP

PALESTRANTE

Carlos Eduardo Riccioppo é crítico de arte e Professor Doutor na área de Teoria, História e Crítica de Arte na Universidade Estadual Paulista – Unesp. Foi Professor de História, Teoria e Crítica de Arte junto ao Departamento de Artes Plásticas da ECA-USP (2012-2017), e professor de História da Arte e Estudos Críticos e Culturais na Escola Britânica de Artes Criativas (EBAC), credenciada à University of Hertfordshire, Reino Unido. Possui doutorado e mestrado em História, Crítica e Teoria da Arte pela USP, com tese sobre a obra de Jac Leirner e a arte brasileira nas décadas de 1980-1990, e dissertação sobre a obra de José Leonilson.
 

SERVIÇO

Osesp MASP
 

1 e 15.11.23, às 20h

MASP Auditório

MASP — Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand

Avenida Paulista, 1578 — Bela Vista

01310-200 São Paulo, SP

Telefone: (11) 3149-5959

Entrada gratuita: Ingressos distribuídos no dia 1 hora antes do evento

Capacidade: 344 lugares

Classificação: Livre

Duração do espetáculo: 1h30
 

PRÓXIMO CONCERTO

6.12 – Coro Acadêmico

Tags

Busca

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Anália Franco: 11 99568-7320
Morumbi: 11 93040-2110

Escola de Teatro

Agende uma aula experimental
Whatsapp 11 96591 9915

Sampa com Família

Parceiros

Facebook

Arquivos

Quem Escreve

Ana Paula

Sou Ana Paula Alcântara Porfírio, trabalho em horário integral como mãe, sou casada, com um príncipe chamado Júnior, tenho dois filhos a Manuella e o Arthur, que fazem meus dias mais felizes!

Vou dividir com vocês nossos passeios, dicas de programas com crianças, experiências e sentimentos da maternidade!